Lima: O mais próximo de uma viagem no tempo

Confesso que àquela altura, Lima não era uma prioridade na minha lista de lugares pra visitar antes de morrer, talvez até me contentasse em não conhecê-la, mas hoje sou muito grato aos acasos da vida por terem me levado até lá.

Por ser capital do país, obviamente não é difícil encontrar informações sobre Lima, no entanto, por viver sempre às sombras do pólo turístico que é Cusco e Machu Picchu, acaba sendo um destino subestimado pelos viajantes de plantão. Mas isso não a torna menos impressionante e interessante, muito pelo contrário.

Infelizmente, sobre essa viagem não tenho como passar os detalhes de planejamento porque ela simplesmente caiu de para-quedas. Era Março e estávamos fazendo aquele clássico brainstorm sobre os possíveis destinos de fim de ano para nossa viagem em família. Parecia que a discussão ia se estender por vários meses, mas na verdade, acabou tão rápido quanto começou. Por acaso nossos vizinhos – uma família de peruanos muito divertida e muito amiga da nossa – também estava planejando a viagem de fim de ano e decidiram nos convidar para acompanhá-los. O destino principal seria Cancún, no México, para o ano novo, mas à convite deles, passaríamos alguns dias em Lima, no Peru, para o natal com o restante da turma.

Como bom – e sempre curioso – viajante, pesquisei bastante sobre Lima antes de embarcar no avião, mas como estávamos acompanhados de nossos amigos , não precisei traçar roteiros, eles nos levaram muito além dos passeios clássicos de turistas e isso tornou a viagem ainda mais incrível.

Informações importantes

Antes de começarmos a explorar Lima, é necessário tomar conhecimento de algumas coisas:

  • O Peru não é membro oficial do MERCOSUL, mas é um membro associado (faz parte da ALADI), dessa forma não é necessário visto para entrar no país e para brasileiros basta documento de identidade (RG).
  • Lima é uma província dividida em distritos, cada distrito possui uma prefeitura própria, então não se assuste com os contrastes entre os distritos, muitas vezes parecem até cidades diferentes.
  • A moeda do Peru é o Nuevo Sol, é uma moeda estável e sua conversão para o real é muito próxima (1 nuevo sol equivale a 1,23 reais pela cotação de 2019). A taxa de inflação também é muito parecida com a aplicada no Brasil. Portanto, não considero Lima o lugar ideal para fazer compras, poupe seu dinheiro para as entradas e atrações turísticas, mas principalmente para a comida (teremos um tópico específico sobre a culinária local). Em alguns lugares, principalmente no centro e bairros comerciais, é possível realizar pagamentos em Dólar.
  • No Peru se fala principalmente Espanhol – além de Quechua, Aymara e 50 outros idiomas nativos -, portanto quem sabe a língua não terá dificuldades em se comunicar. É possível se virar com o famoso “Portunhol”, mas o entendimento mútuo é bem complicado fora dos pontos turísticos. O inglês é uma alternativa mas praticamente só é útil em zonas turísticas.
  • Em Lima, é muito raro – “nunca” é uma palavra muito forte – chover e é muito comum o dia ficar fechado com neblina nas ruas. Isso se deve às cordilheiras que cercam a cidade, impedindo que nuvens carregadas.
  • O Aeroporto Internacional Jorge Chávez é o mais próximo de Lima e fica na província de El Callao. Dependendo da hora do dia, o traslado entre o aeroporto Jorge Chávez e os distritos de San Isidro ou Miraflores (recomendados no tópico “Onde se hospedar em Lima”) pode levar de 40 minutos à mais de 1 hora.
  • O trânsito em Lima é bem caótico em alguns trechos da cidade, por isso não recomendo o aluguel de veículos para locomoção. Uber e transporte público funcionam muito bem na cidade.
  • Caso você necessite pegar um taxi em algum momento da viagem, fique atento! Os taxis não possuem taxímetro em Lima, o valor da corrida é negociado antes de você embarcar e o motorista tem o direito de recusar a sua viagem caso não entrem em acordo sobre o valor ou se não tiver interesse em levá-lo mesmo. O domínio do Espanhol é importante para a negociação, pouquíssimos taxistas falam inglês ou entendem o famigerado “portunhol”.
  • O Peru é uma zona sísmica bem ativa, está localizado próximo ao encontro das placa tectônicas de Nazca e a placa da América do sul, além de estar próximo ao círculo de fogo o pacífico – encontro da placa de Nazca com a placa do pacífico – onde a incidência de terremotos é bem alta. Ao longo dos anos, o Peru sofreu com diversos abalos sísmicos de diversas magnitudes, incluindo de magnitude 9 em 1868.
  • Ao chegar em Lima, ou qualquer local com histórico de incidência de terremotos, procure se informar sobre zonas seguras para abalos sísmicos (alguns locais possuem placa sinalizando). Normalmente as construções já são feitas com engenharia anti-sísmica, no entanto, se estiver na rua é importante saber onde se abrigar quando for preciso.
  • Em Lima não há risco de Malária, Febre amarela e nem de El Soroche (“doença da altitude”). Mas é sempre recomendado manter as vacinas em dia.
  • As tomadas no Peru geralmente são de 220V e em sua maioria de dois pinos achatados (Tipo A), no entanto também é possível encontrar de dois pinos arredondados.

O que conhecer em Lima?

É impressionante como uma visita à Lima pode se tornar uma viagem no tempo. Em poucos dias é possível visitar cidades e construções pré-colombianas de séculos antes de Cristo, acompanhar a trajetória dos espanhóis durante o período das navegações em 1500 d.c., entrar em cassinos clássicos que remetem à algumas décadas atrás ao lado de prédios extremamente modernos que nos saltam os olhos.

O clima de Lima ajuda bastante nos passeios (irei detalhar sobre o clima nos próximos tópicos do post), então o horário de visita aos locais pode ser mais flexível.

Obviamente que sua viagem não precisa seguir essa linha do tempo – eu não segui -, mas se o fizer, é muito interessante reparar o no contraste histórico.

Pachacamac

Ignorando o fato de que sou fascinado pela Era pré-colombiana, esse é um passeio imperdível. Pachacamac é um sítio arqueológico localizado no distrito de Lurín, em Lima, à aproximadamente 1 hora de San Isidro – distrito em que me hospedei – e Miraflores.

Ruínas de kitnets em Pachacamac

Agora senta que lá vem história…

O nome Pachacamac é derivado de Pacha Kamaq, um Deus da mitologia local, dessa forma já podemos concluir que essa região era sagrada, considerada como um santuário para adoração ao Deus, um verdadeiro centro de peregrinação religiosa que ao longo do tempo também foi se tornando um cemitério, pois todos queriam ser enterrados próximo ao seu Deus. Não é raro encontrar ossos que acabaram sendo desenterrados por ação do vento.

“Prazer, Pacha Kamaq”

Estamos acostumados a associar a região do Peru ao povo Inca, no entanto, estes foram os últimos povos a dominar Pachacamac (antes de se deslocarem à Machu Picchu). Vários outros povos precederam os Incas no domínio da região e deixaram suas marcas através de construções milenares que, por ação do tempo, da natureza e da ignorância humana – os espanhóis, após a invasão, derrubaram partes de Pachacamac para usar como material de construção -, foram reduzidas à ruínas gigantescas. Descobrir que algumas das construções foram feitas séculos antes de Cristo e já possuíam sistemas anti-sísmicos – engenharia anti-sísmica pré-colombiana -, é inacreditável.

É proibido passar mas o símbolo proíbe parar… Só eu achei a placa meio confusa?

O passeio é guiado e organizado em pequenos grupos de pessoas. Caminhamos sempre sobre areia e com constantes subidas, o que faz do tour um pouco longo e cansativo, por isso recomendo que use uma roupa confortável, vá de tênis e compre água nas lojinhas antes de começar. Além de comprar água, é possível comprar souvenirs muito interessantes, como a imagem talhada de Pacha Kamaq que mostrei acima.

Por ser distante e imenso, acredito que lotação não é um problema para esse passeio, mas sugiro ir cedo para evitar o trânsito da cidade. Existem diversas empresas que oferecem o tour com traslado para o local mas é possível chegar de forma independente também, no nosso caso, conseguimos conversar com taxistas para fazer o percurso à um preço bem acessível e compramos nossas entradas ao chegarmos no local. O investimento das entradas fica em torno de 10 soles – aproximadamente 12 reais, de acordo com cotação em 2019 – e vale cada centavo!

Se o Incas eram tão inteligentes assim, por que não inventaram a escada rolante?

Se ficou interessado em conhecer um pouco mais sobre Pachacamac e uma viagem à Lima ainda não entrou para os seus planos até aqui, acesse esse link que conta um pouco mais sobre a história da região:
http://360meridianos.com/dica/santuario-pachacamac-lima

Wak’a Wallamarka

Um sítio arqueológico com pirâmides e ruínas no meio da cidade é algo bem incomum, ao chegar próximo do local já é possível contemplar a sua grandiosidade. O complexo ocupa uma área de 150 mil m² e poderia ser ainda maior, mas boa parte da área antes habitada pelos Limas – povo antecessor aos Incas – foi vítima do avanço desordenado da capital e permaneceram encobertas.

Esse é um dos poucos passeios que recomendo sem ter ido, porque a história pré-colombiana – nesse caso, pré-Inca – sempre faz valer a pena, além da localização privilegiada deste sítio arqueológico. No dia que decidimos conhecer acabamos sendo barrados na porta, o lugar estava fechado – não lembro exatamente o motivo -, então acabamos conversando com uns taxistas do local que nos levaram à Pachacamac por um preço bem camarada.

Centro histórico de Lima

Avançando um pouco em nossa viagem pelo tempo, um passeio pelo centro histórico de Lima nos leva à era colonial. Muito bem preservado, é possível identificar a influência européia através das construções e das ruas, uma ótima combinação pra quem curte tirar umas fotos legais.

A tal da “foto legal” no centro histórico de Lima

No centro histórico, talvez a maior atração seja a Catedral de Lima, não só por sua beleza proporcional à sua imensidão, mas pela sua história desde o início de sua construção em 1535. Ela está incluída como Patrimônio da Humanidade e já passou por várias reconstruções devido aos danos causados por terremotos. Um dos fatos mais curiosos sobre a Catedral é que grande parte de sua estrutura é feita em madeira com o objetivo de responder melhor à atividade sísmica da região, mas, devido à pintura muito bem trabalhada, é quase imperceptível a diferença para o concreto, então a primeira reação dos turistas incrédulos é ignorar os avisos e bater nas paredes para escutar o barulho típico da madeira. Não caia nessa tentação! Faça o que digo, não faça o que faço…

GoPro sendo extremamente útil pra capturar a imensidão da Catedral de Lima

Continuando as atrações religiosas do Centro histórico de Lima, o Convento de São Francisco e Museu das Catacumbas é outro prato cheio para os amantes de história. Durante o passeio pelo convento é possível admirar inúmeras obras belíssimas, uma delas é a réplica da pintura “A Última Ceia” de Leonardo Da Vinci com algumas mudanças em referência a história Peruana. A biblioteca existente dentro do Convento de São Francisco é enorme e uma das principais atrações, com aproximadamente 20 mil livros.

A última parte do passeio é um tour pelas catacumbas do Convento, onde as pessoas ligadas a igreja costumavam ser enterradas como uma forma de agradecimento aos serviços prestados. O ossário é composto de mais de 70 mil ossos e é um passeio tão interessante quanto sombrio, sem dúvidas uma experiência única. Há boatos que existiam passagens secretas que levavam ao Tribunal da Santa Inquisição.

Foto conceitual

Outra atração bem tradicional em Lima é o Palácio do Governo, onde diariamente ao meio-dia ocorre a cerimônia de troca da guarda. A troca de guarda é um desfile/apresentação sob o hino do Peru que dura minutos, caracterizando a troca do pelotão em serviço. Sugiro que você comece a procurar uma boa posição para assistir à apresentação por volta de 30 minutos antes do meio-dia, quanto mais perto do início da cerimônia, mais difícil encontrar um bom lugar, portanto, fique esperto! Outra dica importante é levar um boné ou chapéu. É raro, mas tem dias que o sol não perdoa em Lima (foi o meu caso).

Se não tem foto, bate print do vídeo…

Além de todas essas atrações, o Centro histórico é bonito por si só, observar as construções antigas e conhecer um pouco mais sobre a cultura local é sempre uma experiência válida.

Finalmente a autêntica “foto legal”. Valeu maninha, por compartilhar conosco.

Miraflores

Um dos distritos mais famosos de Lima, principalmente por sua orla incrivelmente linda, onde é possível ver o encontro da praia do Oceano Pacífico com as falésias. É surreal encontrar algo assim tão próximo do centro da cidade.

A humilde vista de Miraflores

Além da paisagem, Miraflores é também famoso pela modernidade. Não sou o tipo de viajante comprador, então shoppings nunca me atraem tanto, mas o Shopping Larcomar, construído “trepado” nas falésias, é algo que eu nunca vi na vida. Além de lojas famosas, é um ótimo lugar para comer, com uma praça de alimentação vasta onde é possível apreciar a vista sensacional.

Podia dizer que essa foto é da varanda da minha casa, mas é do Shopping Larcomar mesmo…

A vida noturna de Miraflores é agitada, com vários restaurantes, bares e os cassinos mais famosos de Lima. Aproveitamos a oportunidade pra conhecer o Atlantic City, confesso que foi um pouco abaixo das expectativas, mas como nunca tinha conhecido um cassino de verdade, as imagens que vinham na cabeça eram dos cassinos dos filmes do 007 e de mafiosos, ou seja, não era parâmetro para comparação. Mas apesar do choque de realidade, nos divertimos bastante, jogamos bastante e – consequentemente – perdemos bastante dinheiro também…

Lugar em que garanti meu recorde no Guiness Book de falência mais rápida da história

Além de todas esses atrativos, Miraflores também é conhecido pelas ruas mais famosas de Lima, onde são gravados filmes e novelas na cidade. Não sou muito ligado no assunto, então o crédito desse parágrafo vai todo pra minha irmã. Valeu mana!

Culinária de Lima

O Peru é famoso pela culinária, especialmente pelo ceviche, arrisco dizer que você não encontrará em nenhum lugar do mundo outro igual.

Ceviche, cebiche ou seviche, é um prato da culinária peruana baseado em peixe cru marinado em suco de limão ou lima ou outro cítrico. O essencial é que o pescado seja branco (sem muita gordura, nem músculo vermelho, como o sangacho do atum), mas de carne firme; camarão, lagosta ou mesmo polvo podem também ser usados.

wikipedia

Não sou especialista no assunto e tampouco me aprofundei sobre, mas de acordo com fontes locais o ceviche típico peruano é feito com um peixe regional, essa é a grande diferença dele pro prato dos outros países. E realmente, é um prato incrivelmente saboroso!

Outro prato peruano que merece a fama que possui é o Arroz con Pollo (“Arroz com frango”, ou “arroz com galinha” pros mais íntimos). O nome, de fato, não é atraente mas o sabor fala por si mesmo.

Infelizmente não tenho foto dos pratos – tão bons que mal lembrei registrar -, mas segue a indicação de alguns restaurantes excelentes que não deixarão nenhum amante de comida na mão:

Dpaso Mamacona

Restaurante Dpaso, felicidade em forma de estabelecimento

O primeiro da lista, não poderia ser outro, Dpaso Mamacona é um restaurante bem peculiar. Além do ambiente muito aconchegante com uma pegada bem rústica, que já o torna bem convidativo, a taxa única que lhe permite comer à vontade a deliciosa comida peruana -incluindo sobremesa- praticamente lhe prende na cadeira e, acredite, você vai querer repetir enquanto tiver espaço disponível na barriga. Felizmente, as atrações não param por ai, enquanto os clientes aproveitam a refeição alguns grupos de dançarinos fazem apresentações de dança peruana e até interagem com o público algumas vezes.

Acredito que essa pequena lista de atrações, já é suficiente pra chamar sua atenção -principalmente o open food – , mas saiba que o melhor ainda está por vir. Após o horário das refeições começa um outro tipo de espetáculo ao lado do restaurante onde há uma pista de areia com alguns bancos para platéia, é nela que os cavalos sob seus respectivos cavaleiros e amazonas executam coreografias impressionantes.

Até os cavalos dançam e você ai sem saber o “dois pra cá, dois pra lá”

O restaurante fica um pouco distante do centro de Lima, mas vale muito à pena a visita! Minha sugestão é visitá-lo antes ou depois do passeio em Pachacamac, pois são relativamente próximos.

O preço do buffet por cabeça gira em torno de 100 nuevos soles para adultos e 60 nuevos soles para crianças de 6 a 11 anos. Esse valor já inclui a entrada para a apresentação dos cavalos.

El Salto del Fraile

Aquela pausa pra digerir 5 kg de ceviche

Por si só o restaurante El Salto del Fraile já é muito interessante, à beira das falésias do distrito de Chorrillos com uma vista panorâmica para o oceano e para a serra, é um ótimo lugar para aproveitar o almoço sem pressa, saboreando os pratos deliciosos servidos por lá -especialmente o ceviche- e algumas doses do famoso pisco sour (a “caipirinha” peruana).

Pra quem não está familiarizado com o espanhol, “El Salto del Fraile” significa “O pulo/salto do frade” em português, e não precisa ir muito longe pra saber o porquê. De hora em hora, um figurante vestido de frade vai à beira das falésias próximo do restaurante, dá um grito – que não consegui entender – e pula no oceano. À priori a cena é bem confusa e esquisitamente engraçada, mas ela não é por acaso, esse pulo retrata o final trágico de um romance de 1860:


Diz a lenda que, por volta de 1860, havia duas famílias nobres que moravam em Lima, o Marquês de Sarria e a Molina, que haviam sido viúvas, por isso tinham uma babá que cuidava de Clara de 12 anos de idade. A babá tinha um filho chamado Francisco, e diz-se que ele era 3 anos mais velho que o mais novo. Francisco apaixonou-se por Clara a tal ponto que a bela jovem engravidou, o que causou uma verdadeira revolta na sociedade da época. O marquês, ofuscado e ofendido diante de tal indignação, ordenou que Francisco fosse trancado no convento de La Recoleta e fizesse um frade. Quanto à menina, seu pai decidiu enviá-la em uma viagem. Após esse episódio, o jovem já usava o traje de um monge dominicano e ajudou na missa do padre Mendoza. Quando ele chegou, em 17 de outubro, o dia da partida de Clara, que embarcaria de Callao e faria uma viagem com o pai, para nunca mais voltar. A enfermeira da jovem disse que seu filho estaria esperando que ela se despedisse do topo de um penhasco assim quando seu navio passasse pelas margens de Chorrillos e através de uma luneta, ela poderia vê-lo. Às 17h30, na rocha mais alta, o frade com as mãos levantadas se despediu de sua amada, ela com o coração partido o observou; de repente ele se lançou nas profundezas do mar, deixando apenas o amor que professava por ela. Clarita não suportava a ideia de ficar sem ele, morar sozinha neste mundo não era uma opção, a dor que sentia era profunda e não encontrava ideia melhor do que se jogar no mar de onde estava. Assim, os dois finalmente ficariam juntos pela eternidade e nenhum preconceito os separaria.

sim, aquele é o “frei” pulando. não, ele não morreu…

Ao contrário do restaurante Dpaso Mamacona citado anteriormente, o restaurante El Salto del Fraile é a la carte e oferece um cardápio de comidas típicas bem vasto e acessível com os preços variando de 10 a 30 nuevos soles.

Sabores Peruanos

“nesta casa existe carinho” e muita comida

Com algumas unidades espalhadas por Lima, é um excelente local para degustar o melhor da culinária local. Os tira-gostos são ótimos para molhar as palavras enquanto aguarda a refeição ser preparada e os pratos, além de deliciosos – como já era de se esperar -, são muito bem servidos. Não lembro exatamente a variação de preços do cardápio, mas o custo benefício definitivamente valia a pena!

ATENÇÃO

se você não gosta de comida picante, procure saber se o prato é temperado com pimenta antes de pedí-lo. No Peru, normalmente quando um prato é apimentado, ele é APIMENTADO. Então cuidado!

Restaurantes do Shopping Larcomar

Pra quem está com saudade de casa ou quer provar algo diferente da comida peruana, o Shopping Larcomar hospeda uma vasta praça de alimentação com vários restaurantes muito bons, inclusive franquias internacionais.

O paraíso do frango frito com barbecue

Pisco

A “cachaça peruana”, a aguardente de uva, é a base pra vários drinks. O mais famoso deles é o Pisco Sour, que está para o Peru como a caipirinha está para o Brasil, feito com Pisco e suco de limão. Confesso que nunca havia escutado falar nessa bebida, muito menos nesses drinks e não esperava que fosse tão boa. Se você é maior de 18 e bebe, fique à vontade pra degustar e se animar um pouco, com moderação, é claro.

A irmã patricinha da nossa caipirinha

Onde se Hospedar em Lima?

Nos hospedamos no NM Lima Hotel em San Isidro, um distrito muito bem localizado, tranquilo e seguro, sempre saímos para passear e jantar andando, nunca tivemos nenhuma preocupação. À poucos metros do hotel havia o Bosque El Bolívar, belo lugar para uma caminhada, praticamente todas as manhãs íamos lá.

O hotel era muito bom, ótimo atendimento, as acomodações eram de primeiríssima qualidade e o café da manhã bem servido. Super recomendado e aprovado!

Além de San Isidro, Miraflores também é o distrito mais recomendado entre os visitantes.

Quando ir à Lima?

O clima em Lima é estável ao longo do ano inteiro, as temperaturas ficam em torno de 16 ºc e 26 ºc, sendo normalmente Dezembro o mês mais quente e Setembro o mais frio. Ao fazer a mala procure levar agasalhos mesmo nos meses mais quentes, as temperaturas podem variar muito rápido em Lima à medida que o dia vai passando.

Como dito anteriormente no tópico de Informações Importantes é muito raro a incidência de chuvas em Lima, dessa forma qualquer época do ano é boa para fazer passeios à céu aberto e conhecer tudo que a cidade proporciona.

Julho, Agosto, Dezembro e Janeiro são os meses considerados como alta temporada, nesse período a cidade fica bem mais cheia que o normal e exige um planejamento um pouco maior para os passeios (compra antecipada de entradas e etc).

Dicas sobre passagens para Lima

Existem apenas duas companhias aéreas com vôos diretos entre Brasil e Lima, LATAM e AVIANCA, mas não se preocupe, várias cidades o oferecem, como: São Paulo, Rio de Janeiro, Foz do iguaçu e etc.

Os preços de vôos para Lima variam de acordo com a cidade de partida e o período da viagem. Em meses de baixa temporada, como maio e junho, é possível encontrar passagens a partir de 1300 reais (ida + volta). Já em meses de alta temporada, como Dezembro e Janeiro, os preços podem variar entre 1700 e 2500 reais (ida + volta).

Comprar com antecedência é um dos melhores conselhos porque, independentemente da temporada, é possível encontrar preços bons. Por exemplo: se deseja visitar Lima em Dezembro, procurar passagens desde Abril – como fizemos – é uma boa decisão e vai lhe salvar uns tostões, inclusive na hora de reservar hotel ou apartamento.

Outra dica interessante é acompanhar os aplicativos ou sites do Passagens Imperdíveis e Melhores Destinos, eles postam diariamente destinos em promoção e não é difícil encontrar passagens para o Peru com preços muito bons para diversos períodos do ano, algumas vezes até emendando mais de um destino na mesma viagem.

Bom, Lima foi uma experiência incrível que levarei pro resto da vida e, sem dúvidas, pretendo voltar em breve! Espero ter atiçado seu espírito viajante com esse post e adicionado mais um destino à sua lista de próximas viagens.

Fique à vontade para deixar seu comentário!

4 comentários em “Lima: O mais próximo de uma viagem no tempo

  1. Muito bom o seu conteúdo, as informações são ótimas!

    Curtido por 1 pessoa

    1. muito obrigado! estive ausente por conta do trabalho, mas voltarei a postar mais!

      Curtir

  2. Ana Flávia Bastos Arraes 4 de janeiro de 2020 — 20:47

    Muito bom!! Parabéns

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close